O Willkommenskultur e o florescer da pátria alemã.

Abstract-Deutschland-Flag-HD-Wallpaper

Quando vejo as notícias sobre a crise dos refugiados e como os países da Europa estão lidando com este problema eu me pergunto se a Alemanha está tomando a decisão certa. É de se estranhar a forma como a Alemanha está recebendo os refugiados, em especial os sírios. Porque a Inglaterra é tão fria e indiferente e Alemanha tão acolhedora e receptiva?

Sei por proximidade que o povo alemão é um povo de ideais românticos, mas nem de longe e um povo burro. Gosto da visão do Humberto Eco em seu romance “O Baldolino” sobre os germânicos; “…com seus olhos verdes, e expressão inocente…”.

Também é de conhecimento público que a taxa de natalidade na Alemanha é muito pequena para a enormidade da sua economia e importância no cenário europeu. E que a parte leste do país, a antiga Alemanha Oriental já está integrada e equalizada com o resto do país no que diz respeito à oportunidades de emprego e poder de compra.

Então qual é o motivo? É econômico? Eu acredito que não…. Aí vai a teoria da conspiração:

Acredito que o povo alemão por ter vivido o holocausto no papel de algoz, hoje simpatize com as vitimas de uma forma única, é só ver o posicionamento quase 100% favorável a Israel nas reuniões das Nações Unidas. Não que Israel atualmente seja vítima, pelo contrário.

As gerações atuais de alemães são muito envergonhados com o que aconteceu no passado e de alguma forma eu acredito que eles relacionam o Estado Islâmico ao regime nazista. É uma teoria bem maluca né? Mas eu realmente acredito nisto. Você já tentou falar com um alemão nativo sobre o holocausto? Tente… No inconsciente coletivo germânico os “judeus” de ontem são os Sírios de hoje, e eles (os alemães) tem a obrigação moral de livrá-los dos seus algozes.

É importante ressaltar que o povo alemão tem excelência de planejamento e execução, basta lembrar que o maior PIB dentre as repúblicas satélite soviéticas era da Alemanha Oriental (DDR), ou seja, até sobre o domínio comunista, os alemães conseguiram atingir a excelência possível do regime de esquerda. O que eu quero dizer com isso? É obvio que deve ter existir alguma segunda intenção (econômica) por trás da boa ação e alguém duvida que os resultados serão positivos?

Fico na torcida para que a convivência deste povo que chega em terras germânicas precisando de ajuda, possa gerar uma relação ganha-ganha. E que juntos; Turcos (maioria de imigrantes na Alemanha) Sírios (que estão chegando) e Alemães (os donos da casa) possam florescer e prosperar numa pátria unida, rica e feliz.

Termino o meu post sobre a Alemanha com um poema do meu xará, o progressista e poeta Augusto Henrique Hoffmann von Fallersleben.


Einigkeit und Recht und Freiheit

Für das deutsche Vaterland!

Danach lasst uns alle streben

Brüderlich mit Herz und Hand!

Einigkeit und Recht und Freiheit

Sind des Glückes Unterpfand –

Blüh im Glanze dieses Glückes,

Blühe, deutsches Vaterland.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *