Tempestade e Ímpeto – Goethe e Schiller

 

Neste espaço dedicado a assuntos referentes a Alemanha, eu abordo alguns temas de grande interesse pra mim, e que eventualmente não seja relativo a tecnologia.

Os sofrimentos do jovem Werther –  o início de tudo

Acabo de reler uma das obras do poeta alemão Goethe (Johann Wolfgang von Goethe), os sofrimentos do jovem Werther, no final da leitura busquei informações sobre o VolksGeist da época em que a obra foi escrita, e esbarrei no conceito da Tempestade e Ímpeto, em alemão Sturm und Drang. Confesso que já tinha me deparado com estas palavras em alemão mas não me preocupei muito com o seu significado.

goethe

 

Tempestade e ímpeto significa mais do que a junção de duas palavras em alemão, na verdade foi a materialização do Romantismo na Alemanha, o nome do movimento foi inspirado em uma peça do dramaturgo, novelista e posteriormente general do exército Russo; Friedrich Maximilian von Klinger. Segundo apurei, a peça foi apresentada em 5 atos em Leipzig em Abril de 1777 e na obra o autor fazia um apelo nacionalista de raízes germânicas. A evocação do arquétipo Germânico tão explorado na obra de Carl Gustav Jung sobre os o inconsciente coletivo.

Além de Klinger outra pessoa que teve participação no início do movimento, foi o teólogo, filósofo, poeta e pastor prussiano Johann Gottfried von Herder. O pastor Herder adotou como bandeira e método a busca e inspiração na literatura a partir de temas e origens germânicas. É esse apelo à criatividade de uma literatura autenticamente nacional que retomaria e ampliaria sua obra, exercendo grande influência na gênese do Romantismo alemão e em especial sobre o jovem Goethe.

Vale ressaltar que o movimento não ficou “confinado” apenas a literatura alemã, outras áreas culturais também sofreram grande influência deste movimento.

Goethe, um dos meus autores favoritos, foi um dos protagonistas do movimento romântico alemão, também é necessário mencionar seu “igual” Schiller (Johann Christoph Friedrich von Schiller).

liebig_goethe_schiller

Goethe conheceu Herder em Estrasburgo e foi neste período que ele se apaixonou pela arquitetura gótica e pelas canções do folclore alemão. Sob esta influência publicou em 1773 a peça Götz con Berlichingen, baseada na vida de um cavaleiro alemão do século XVI. Outras peças importantes do movimento foram Die Räuber (Os Salteadores, 1781) e Kabale und Liebe (Intriga e Amor, 1784) de Schiller, que marcou uma nova fase deste movimento no que diz respeito ao trabalho sobre o género dramático. Ainda no contexto deste movimento, tanto Schiller como Goethe se viriam a notabilizar pela sua poesia.

O Strum und Drang se “opunha” conceitualmente ao Iluminismo francês que era vigente na Europa. O Iluminismo colocava a razão acima de tudo e este é um dos propósitos totalmente recusados no Romantismo. Tudo passa pela emoção e não pela razão.

 

A Luz venceu as Trevas, mas mesmo a Luz não conseguiu suplantar o Romantismo.

No Século XVIII o movimento cultural que dominava a cena na Europa era o Iluminismo, movimento este que colocava a razão acima de tudo. Este movimento utilizava-se como o principal motor, o poder da razão com objetivo de reformular a Europa recém saída da tão malfadada época das Trevas. Pegou a dicotomia Luz contra as Trevas?

Um dos principais motes do Iluminismo era lutar contra o poder e a intolerância reinante na Igreja Católica e das monarquias. Para obter mais informações sobre o período vale a pena procurar os filósofos que são considerados os teóricos do movimento. São eles: Voltaire, Montesquieu, Rousseau entre outros. O Iluminismo promoveu profundas mudanças políticas, econômicas e sociais, baseadas nos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade, os ideais da revolução francesa.

Mas como todo movimento chega no seu limiar e desaparece, o Iluminismo também chegou no seu declínio e foi substituído pelo Romantismo. Neste momento a França perde o protagonismo para a Alemanha de Goethe, Schiller e seus conterrâneos.

 

Força não há capaz de enfrentar
Uma ideia cujo tempo tenha chegado
A força não é capaz de salvar
Uma ideia cujo tempo tenha passado *

 

Sturm und Drang e o Romantismo alemão.

O Sturm und Drang colocou a vida como valor supremo e recusou todas as normas que pudessem limitar o desenvolvimento humano.

Mais uma vez a velha rivalidade Franco-Germânica se manifesta no campo das ideias, vale lembrar que o Romantismo Alemão nasce e se desenvolve num contexto pré guerras napoleônicas e posteriormente se desenvolve no período das guerras Franco-Germânicas/Prussianas.

E o apelo germânico incentivado pelo Romantismo alemão certamente teve influência no consciente coletivo e apaixonado do povo germânico nas guerras mundiais que estavam por vir.

O movimento rompeu de forma brutal com esquemas que regulavam o desenvolvimento social e individual. Influiu fortemente na arte com a proclamação da total liberdade de criação do artista, cuja produção deveria ser a expressão de seu poder de criação e não fruto da obediência a padrões formais e preestabelecidos.

Eis algumas características do Romantismo alemão:

  • Liberdade política, de expressão e de pensamentos
  • Individualismo e subjetivismo
  • Gosto pelo mistério
  • Imaginação e sonho
  • Culto à natureza
  • Gosto pelo exótico
  • Nacionalismo
  • Valorização do passado
  • Desejo de reforma e engajamento político

O ímpeto com que os participantes do movimento divulgaram suas ideias, provocaram na nação alemã uma revolução na cultura e na vida. Até então, a literatura, como na maioria dos países era uma cópia do que se passava na França. A partir de então, a poesia alemã passou a ser original e com caráter próprio e então a Alemanha passa a influir fortemente sobre a produção literária de outros países.

Ainda no contexto deste movimento, tanto Schiller como Goethe tornaram-se imortais através da sua poesia.

De Schiller vale a nota que ele teve a honra de musicar a nona sinfonia de Beethoven e desde criança eu ouvia suas histórias da saga de Guilherme Tell. Tenho na recordação várias frases dele.  Esta que é uma das minhas referências prediletas, e atual em nosso Brasil dominado pelo totalitarismo petista.

Eine Grenze hat die Tyrannenmacht”, que em minha tradução livre significa “O poder dos tiranos tem o seu limite” (da obra Guilherme Tell)

 

* Música dos Engenheiros do Hawaii.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Mari disse:

    Certeza que vou ler este livro, Werther!!!

  2. Juliana Saraiva disse:

    Goethe é O Cara, esse texto está no lugar errado… vc deveria entrar numa tertúlia literaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *