Tudo será definido pelo software – SDDC (Software Defined Data Center)

CiscovxVmware

Estive no mês passado no evento da VMware em São Francisco no Moscone Center, uma linda cidade. Os eventos de TI nos Estados Unidos são sempre um tapa na cara da sociedade (brasileira). Bem organizados, nota 10 no quesito mobilidade urbana e relevantes em conteúdo. E se até os colegas da Europa ficam impressionados, imagine nós que vivemos em terras Brasilis.

No evento, chamado VmWorld 2014 foram divulgados diversos produtos novos e algumas melhorias em produtos já existentes, mas de tudo o que vi o que mais me chamou a atenção foi o NSX (plataforma de segurança e virtualização de rede para datacenter).

Além disso, me surpreendeu a decisão da VMware em abraçar o OpenStack. Sem dúvida a VMware irá auxiliar em sua disseminação, e também no suporte de empresas que não possuem o know-how necessário para manter o ambiente virtualizado nem o custo para contratar o suporte, que não é pequeno.  Fica só a dúvida, qual é a real motivação desta decisão? No fim o que realmente importa é que haverá colaboração do próprio time da Vmware no desenvolvimento e melhorias no “VM-OpenStack”.

Como é de conhecimento de todos os gestores de TI um de nossos principais desafios é o de controlar o aumento dos custos (o famoso TCO). E pelo menos no discurso, um dos grandes objetivos e direcionadores da VMware é utilizar do conceito de nuvem híbrida (privada + pública) e o SDDC com objetivo de manter os custos sob controle.

A VMware domina o mercado de hypervisors e esta vantagem na nuvem privada e o elemento que na visão deles irá determinar a adoção e disseminação do uso de nuvens híbridas com o selo VMware. Muitas organizações já usam hipervisor da VMware e estão plenamente atendidas e satisfeitas com o software de gestão de recursos, dessa forma torna-se uma extensão natural para estas empresas usar as ferramentas do vCenter e vCloud Automation para construir uma nuvem privada e posteriormente unificar os ambientes.

Outra novidade que me chamou atenção é referente ao plano de concorrer no disputado mercado de nuvem publica (de IaaS), o produto é o vCloud Hybrid Service. Neste mercado atualmente estão alguns gigantes ​​como a Amazon (AWS), Google e Microsoft. Mas entendo que a VMware tem musculatura e produto para oferecer um pacote híbrido que combina o software no local com sua nuvem pública. A empresa tem como objetivo ser um dos três maiores provedores de nuvem pública.

Dentre os produtos que já haviam sido lançados em 2013 mas tiveram melhorias implementadas desde o ano passado e ao longo deste último ano, está o SDDC (Software defined data center). E foram apresentados diversos cases de sucesso na implementação do NSX, tenho que confessar que achei fantástica a ideia contida neste produto.

O objetivo da VMware é gerenciar a partir do console do VMware todo o data center, o que os coloca em rota direta de colisão com a Cisco que é a principal prejudicada numa eventual virtualização das funcionalidade de networking e firewall. Isso sem falar do VSAN que tem por objetivo também virtualizar o Storage.

Através da estratégia do NSX é possível de forma simplificada e centralizada gerenciar todo o ambiente do data center, aplicando política e realizando controles de aplicação, firewall de NG e IPs que na camada de rede seriam bastante caros.

Como estratégia de suporte ao SDDC está o SDN (software defined networking), a Vmware comprou por 1.2 Bilhões de dólares a empresa Nicira (startup do vale do Silício) e entrou de vez na briga da virtualização de networking e micro segmentação com firewall por VM (virtual machine). O NSX é o produto que promete acabar literalmente com domínio da Cisco como provedor de infraestrutura de rede para datacenter. Será? O software da VMware irá abocanhar uma fatia do mercado da Cisco? Isso eu não sei dizer, mas que esta nova linha de produtos NSX irritou o pessoal de San José, ah isso irritou. Ouvi dizer que o John Chambers fez uma declaração digna do Führer. Afirmou que a Cisco irá esmagar a VMware !

Fato é que o ambiente de networking para data center a bastante tempo não sofre grandes mudanças, apenas velocidade de portas e uplinks, o que acabou tornando commodities alguns produtos de linha da Cisco.

Minha opinião é que o mundo realmente caminha para ser realmente definido pelo software, o hardware de todas as empresas é produzido na mesma linha de montagem na China, por isso tende a ser irrelevante, não há grandes diferenciais nos processadores e circuitos de um ou outro fabricante, a diferença reside mesmo no software embarcado, e se abstrairmos esta ideia para o conceito de virtualização de rede e segurança, chegaremos a conclusão que não é mais necessário pagar mais caro por um hardware de marca ou mesmo manter vários times técnicos multidisciplinares. Isso custa muito dinheiro e burocratiza os processos de deploy, aumenta a complexidade no troubleshooting.

Enfim, atualmente já há casos de sucesso na implementação do NSX que merecem ser vistos, tanto sobre a perspectiva de custo quanto de capacidade e disponibilidade que até onde eu conversei com outros clientes e vi, são plenamente satisfatórios sobre a perspectiva técnica e financeira.

Qual é a síntese disso tudo?

Acho que o futuro é escrever APIs em RESTfull, pois se o mundo será realmente orientado por software, podemos automatizar muito do trabalho que hoje é manual. É o Incrível Mundo Novo (de TI) que se renova a todo momento, abstrato e maravilhoso. Tão incrível e excitante quanto esta rua em São Francisco. Quem não conhece está perdendo! Lombard Street.  🙂

lombard-street

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Jorge Mariano disse:

    Ei Augustão, ta cuspindo no prato que vc comeu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *