Pensamento Lateral e a Vantagem Competitiva

Melhorar a qualidade de produtos e serviços e reduzir os custos são fatores essenciais para subsistência das corporações, mas trabalhar apenas na melhoria de processos e redução de custos não é o suficiente.  A criatividade e inovação são os fatores que podem garantir a perenidade dos negócios no cenário atual de crise econômica e forte concorrência global.

Segundo Michael Porter “Uma estratégia sensata começa com um objetivo correto. E afirmo que o único objetivo capaz de respeitar uma estratégia sensata é o aumento da rentabilidade“.

Em linha com a estratégia de Porter, aumentar a rentabilidade significa buscar novas formas de fazer as coisas melhores, de maneira diferente e para isso é determinante a capacidade de pensar diferente. É muito difícil encontrar esta capacidade entre os profissionais disponíveis no mercado, afinal todos nós somos “forjados” na mesma escola do pensamento tradicional e somos sem juízo de valor, todos muito parecidos.

Os fatores determinantes na caçada por pessoas que tenham a capacidade de pensar “fora da caixa” não são determinados pela classe social, cor de pele ou credo religioso, embora ainda existam pessoas que considerem estes fatores determinantes… #SoSad. O que realmente diferencia os profissionais é a capacidade de pensar fora da caixa, fatalmente quem fizer mais uso desta capacidade irá se destacar.

O que este artigo propõe é um método para exercitar este tipo de pensamento inovador, pois segundo o criador desta “escola” de pensamento, Edward de Bono (De Bono), o Pensamento Lateral é uma habilidade que pode ser aprendida. Este método de pensamento propõe uma mudança na forma convencional de pensamento e segundo o próprio autor, muitas vezes esta habilidade é negligenciada por ser totalmente desconhecida.

Quais são os meios de exercício do pensamento lateral, além de buscar solucionar problemas por meios aparentemente ilógicos? Ele trata de um processo e da vontade de olhar para as coisas de uma maneira diferente, é o pensar fora da caixa que eu mencionei anteriormente. Este é um tipo relativamente novo de inteligência e que complementa o pensamento analítico e crítico. É importante ressaltar que esta nova forma de pensar não é ensinada em nossas grades curriculares convencionais do ensino regular.

Porque aprender as técnicas do Pensamento Lateral? Para ajudar na resolução para problemas que não tenham solução através de métodos convencionais e como resultado “apenas” pelo pensamento lógico. Esta teoria é dividida pelo seu criador em duas vertentes.

  • O pensamento vertical, que utiliza-se dos processos de lógica conhecidos e pode ser resumido como o método tradicional de pensar.
  • Pensamento lateral, propõem-se a interromper a sequência de lógica do processo de pensamento vertical para chegar a uma solução de outro ângulo.

e89f6522633f366f912572f5f49fcc4d

No livro Six Thinking Hats, De Bono, expõe sua técnica para ensinar o cérebro a olhar para um problema a partir de uma variedade de ângulos. O objetivo, diz ele, é abrir a mente e impedir que as pessoas adotem postura meramente defensivas ou apelem para os paradigmas, por ex: ” Eu sempre fiz desta forma, eu aprendi assim, eu nasci assim e vou ser sempre assim…” Os benefícios de mudar o jeitão convencional não apenas ajuda as empresas, mas pode desempenhar um papel crucial na formação pessoal e educacional.

Com o treinamento certo, é possível melhorar a capacidade de pensar lateralmente e o pensamento lateral pode ser eficaz e ajudar pessoas, empresas e equipes de resolver problemas difíceis e criar novas ideias, novos produtos, novos processos e novos serviços.

Segundo De Bono o cérebro humano utiliza padrões assimétricos como formas de auto-organização do sistema de informação. Em tais sistemas há uma necessidade matemática para mover-se através de padrões. “As ferramentas e os processos de pensamento lateral são projetados para atingir tal movimento ‘laterais’. As ferramentas são baseadas na compreensão dos sistemas de informação de auto-organização”.

Esta é uma definição técnica que depende de um entendimento dos sistemas de informação de auto-organização.

Em qualquer sistema de auto-organização há uma necessidade de sair da zona de conforto e procurar novos lugares, deixar o platô da zona de conforto, gerar a crise. As técnicas de pensamento lateral, como provocação, são projetadas para ajudar nessa mudança/crescimento.

Entendo que este crescimento pode levar a “tal” Vantagem Competitiva que é essencial para lutar contra a concorrência do mercado global, utilizando-se de uma estratégia baseada em inovação. Além disso, aprender a pensar criativamente abre novas perspectivas em outros campos, pois a imaginação criativa é o instrumento pelo qual os profissionais podem criar a partir deste aprendizado, resultando em formas de inovações para o futuro, contribuindo como vantagem competitiva para empresas e determinando uma cultura sustentável de criação e inovação.

Profissionais da área de Arquitetura de TI tem papel preponderante no entendimento e uso do Pensamento Lateral como alavanca para a inovação nas organizações, segundo Porter “Em qualquer empresa, a tecnologia da informação exerce efeitos poderosos sobre a vantagem competitiva, tanto no custo, quanto na diferenciação“. Arquitetos Corporativos temos como principio ser a “ponta de lança” neste cenário de inovação disruptiva utilizando-se dos recursos de TI.

E como diriam meus antepassados do norte: Vitória ou Valhala

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmailby feather

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *